domingo, 25 de fevereiro de 2024

Comissão de saúde da Assembleia Legislativa realizou na tarde de ontem audiência publica para debater o tema sobre parto humanizado

 

 

O encontro foi conduzido pelo deputado Wellington Callegari (PL), que mostrou a realidade das gestantes que dependem do SUS.

Buscando a aprovação e o aprimoramento do projeto que combate a violência obstétrica e que garante o direito de livre escolha da mãe na modalidade do parto (cesárea ou normal), o deputado Wellington Callegari presidiu a Audiência Pública realizada na tarde de ontem (03), na Assembleia Legislativa, reunindo profissionais de saúde, vítimas de violência obstétrica e demais autoridades da área.

O presidente da Comissão de Saúde, deputado Dr. Bruno Resende (União), abriu a sessão, falou sobre a pertinência da matéria e parabenizou toda organização. Em seguida, a Dra. Francesca Sani Avanza Ramos, especialista em direito médico e que atua junto às vítimas, focou nas responsabilidades dos médicos: “A correta aferição das responsabilidades diretas e exclusivas do médico ajuda nas ações judiciais, nos casos de imperícia”. O gestor do Hospital Materno Infantil da Serra, Dr. Eduardo Soares apontou para a importância da assistência à gestante no início da gravidez: “Uma gravidez saudável começa no início. Muitos casos que marcam as tragédias na hora do parto se dá pelo fato da falta de assistência inicial. Precisamos acabar com essa cultura do terror na hora do parto”.

O momento marcante do encontro foi quando Gislene Franco, vítima de violência obstétrica, pediu a palavra e emocionada desabafou: “A teoria da política do parto normal é muito bonita no papel, mas só as mães que dependem de hospital público conhecem na prática o terror que muitos médicos e enfermeiros provocam nas gestantes. Eu perdi a minha filha por negligência e omissão médica. Eles mataram o meu sonho e continuam matando o sonho de muitas mães. Parto bom e humanizado é aquele que a mãe e o bebê saem vivos”, complementou Gislene.

A diretora do Instituto Nacional de Educação Perinatal e Saúde (INEPES) Aline de Almeida trouxe dados alarmantes sobre o tema: “A cada dois minutos uma mulher morre na gravidez ou na hora do parto em todo mundo. Esses números mostram grandes retrocessos para a saúde materna em muitas partes do mundo e as enormes disparidades no acesso à saúde”, apontou a profissional.

Finalizando as falas, o superintendente do Ministério da Saúde no Espírito Santo, Luiz Carlos Reblin colocou o órgão à disposição da causa e o presidente do CRM-ES Dr. Aron Stephen Toczek Souza, que é obstetra, defendeu a formação humana dos profissionais da área de medicina, mas não negou o problema e a necessidade da correta apuração e punibilidade.

O deputado Wellington Callegari agradeceu a presença de todos e pediu apoio para aprovação do Projeto de Lei 118/23, de sua autoria: “Nossa proposta tem como objetivo primário corrigir essas injustiças e o nosso projeto não passa por cima da voz dos médicos, porém, ele garante e respeita a voz das gestantes. É inadmissível que no momento mais sagrado para uma mãe, ela sofra qualquer tipo de violência”, assegurou o parlamentar.

O projeto está tramitando na Assembleia Legislativa. Após as análises e os ritos necessários, ele vai ao plenário para votação. Caso aprovado, segue para sanção do governador Renato Casagrande.

Matéria relacionada

Acordo amplia movimentação de granéis sólidos no porto em Vila Velha.

Acordo amplia movimentação de granéis sólidos no porto em Vila Velha.

  Em acordo firmado entre a autoridade portuária do Espírito Santo VPorts e o grupo paranaense de soluções logísticas FTSpar, foi oficializado, nesta quinta-feira (22) a parceria que deverá aumentar

Multidão faz festa na chegada do Vasco ao ES.

Multidão faz festa na chegada do Vasco ao ES.

  A torcida compareceu em peso na tarde desta sexta-feira (23) para recepcionar os jogadores do Vasco na chegada a Vitória com uma grande festa. Uma multidão de torcedores, que

Cariacica é a 1ª cidade do ES a iniciar a vacinação contra a dengue.

Cariacica é a 1ª cidade do ES a iniciar a vacinação contra a dengue.

  A vacinação contra a dengue no Espírito Santo começou nesta sexta-feira (23) e foi em Cariacica, na Unidade de Saúde de Morada de Santa Fé, que a imunização de

Festival Aracruz Sabores: gastronomia, shows e atrações para homenagear a imigração italiana.

Festival Aracruz Sabores: gastronomia, shows e atrações para homenagear a imigração italiana.

  O Festival Gastronômico Aracruz Sabores, que começou nesta quinta-feira, segue agitando o município até o domingo (25), na Praia de Santa Cruz. O evento reúne o melhor da gastronomia

Serra terá mutirão com atendimento gratuito de advogados neste sábado.

Serra terá mutirão com atendimento gratuito de advogados neste sábado.

  O Serra + Cidadã, que acontece neste sábado (24) em Balneário de Carapebus, vai oferecer assistência jurídica gratuita para processos relativos ao Direito de Família, oferecidos pelo Departamento de

ES recebe 58.530 doses de vacina contra dengue na primeira remessa nesta quinta-feira.

ES recebe 58.530 doses de vacina contra dengue na primeira remessa nesta quinta-feira.

  O Espírito Santo vai receber nesta quinta-feira (22) a primeira remessa de doses das vacinas contra a dengue para o início da imunização das crianças de 10 e 11

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima